Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

É Desporto

É Desporto

Richard Norris Williams. Sobreviver ao naufrágio do Titanic e ser campeão

Especial Jogos Olímpicos (Paris-1924)

Richard Norris Williams

Norte-americano fazia a famosa viagem inaugural do Titanic entre Southampton e Nova Iorque e esteve perto de ver as duas pernas amputadas na sequência do naufrágio. O tenista recuperou e, de regresso à Europa, 12 anos depois, venceu a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Paris.

Quando a morte espreita, há quem consiga escapar. Quem decida que ainda não é hora e que ainda há muito para fazer antes do derradeiro suspiro. Na madrugada de 15 de abril de 1912, nas águas gélidas do Atlântico, Richard Norris Williams tornou-se uma dessas pessoas.

Aos 21 anos, era um dos passageiros da histórica viagem inaugural do Titanic entre Southampton e Nova Iorque. Nascido na Suíça, estava a caminho de Cambridge para estudar em Harvard. Viajava com o pai em primeira classe – embarcaram ambos apenas em França, em Cherbourg-Octeville - e estava longe de imaginar o que se ia passar.

Norris Williams viveu horas de terror. Viu o pai morrer e foi obrigado a resistir durante horas numa pequena embarcação com água até aos joelhos. Quando foi finalmente resgatado e visto por um médico, a dupla amputação surgiu como a alternativa mais viável. Mas Richard recusou.

Optou por um período de difícil reabilitação que o obrigava a andar duas horas todos os dias e a recompensa chegou mesmo em agosto, quando se sagrou campeão do US Open na variante de pares mistos. O ténis tornou-se parte do seu quotidiano e só foi interrompido durante o período em que combateu pelos Estados Unidos na Grande Guerra.

Doze anos depois do naufrágio, no regresso à Europa, Richard Norris Williams tentou ser campeão olímpico em Paris. Participou na variante de pares mistos, fazendo dupla com Hazel Wightman – detentora de um total de 15 grand slams -, e ganhou a medalha de ouro. Pelo caminho, beneficiou da desistência de um par francês composto por Henri Cochet e… Suzanne Lenglen.

Ricard Norris Williams acabou a carreira com seis vitórias em grand slams (duas no US Open em singulares) e um título olímpico. E com as pernas intactas.