Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

É Desporto

É Desporto

Mikio Oda. O primeiro campeão olímpico asiático

Especial Jogos Olímpicos (Amesterdão-1928)

Mikio Oda

Foi do Japão à Holanda de comboio, com pouco dinheiro, sem comida e sem espaço para treinar, e entrou para a história como o primeiro asiático a conquistar um título olímpico, abrindo uma pequena tradição de japoneses no triplo salto.

Mikio Oda era um homem dos saltos. A nível nacional e continental, dominava no comprimento, no triplo e no salto em altura. Pulava como nenhum outro e tinha o sonho de se assumir como a maior potência asiática nos Jogos Olímpicos.

O primeiro ensaio foi em 1924, em Paris. Não conseguiu passar das eliminatórias no comprimento e no salto em altura, mas atingiu um honroso sexto lugar na final do triplo salto, com 14,35 metros. Quatro anos depois, em Amesterdão, estava na hora de voltar a aparecer.

Os tempos eram diferentes e não era fácil chegar do Japão à Holanda num abrir e piscar de olhos. O dinheiro não abundava e a única alternativa passava mesmo por atravessar toda a Rússia de comboio, sem comida e sem espaço para treinar. Depois de uma viagem tão longa, Oda não estava na plenitude das suas capacidades, mas a determinação fez a diferença.

O produto de Hiroshima, com 23 anos, voltou a ficar nas eliminatórias nas outras duas especialidades, mas dedicou-se com alma e coração ao triplo salto. Os 15,21 metros alcançados não chegariam sequer para atingir o pódio em 1924 mas em 1928, numa pista que ofereceu muitas dificuldades aos atletas, foi suficiente para o histórico ouro, com quatro centímetros de vantagem sobre o norte-americano Levi Casey.

Mikio Oda entrou na história mas não ficou para saborear o momento. Quando chegou a cerimónia do pódio, já o nipónico estava a caminho de Paris para participar numa prova, acabando por ser um seu compatriota a receber a medalha.

Curiosamente, a prova do triplo salto contou com a participação de outro atleta japonês. Chuhei Nanbu foi quarto classificado com 15,01 metros e, tal como Oda, aproveitou a sua segunda oportunidade para fazer a diferença. Quatro anos mais tarde, em Los Angeles, com Oda como treinador, Nanbu prolongou aquela mini tradição e voltou a tornar o Japão campeão olímpico do triplo salto.

A história, essa, pertenceu sempre a Mikio Oda. Tanto assim foi que em 1964, quando os Jogos Olímpicos viajaram finalmente até ao continente asiático, em Tóquio, a bandeira olímpica ficou hasteada precisamente a 15,21 metros de altura, numa clara homenagem a Mikio Oda e ao seu feito de 1928.