Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

É Desporto

Nigel Mansell. Um paranóico contra tudo e contra todos

mansell.jpg

Estreou-se em 1980 e só foi campeão em 1992, com 39 anos. Deixou o emprego e vendeu tudo o que tinha, até a casa, para financiar a carreira nos primeiros anos. Relação com colegas de equipa e donos nem sempre foi a melhor mas acabou por conseguir o que sempre quis: ser campeão e sair por cima. E numa época em que bateu recordes atrás de recordes. 

Jody Scheckter. A metamorfose do africano campeão pela Ferrari

sche.jpg

Era um piloto perigoso e uma fonte de acidentes nos primeiros anos na Fórmula 1 mas a experiência e os acontecimentos traumáticos provocaram uma verdadeira metamorfose na postura que tinha em pista. Sul-africano caiu no goto de Enzo Ferrari e foi, até aparecer Michael Schumacher, o último piloto a dar um título de campeão à escuderia italiana. 

Jochen Rindt. As inúmeras premonições do campeão póstumo

rindt.jpg

Nasceu na Alemanha mas competia com licença austríaca. Os pais morreram num bombardeamento na II Guerra Mundial e a vida com os avós impulsionou-o para a Fórmula 1. Durante anos queixou-se dos problemas de segurança, falando de possibilidades de morte e de funerais. Em 1970, quando liderava a corrida ao título mundial, morreu durante a qualificação do Grande Prémio de Itália. Faltavam quatro provas e acabou campeão. 

John Surtees. Se tinha rodas era para ganhar

surtees.jpg

Foi tetracampeão de motociclismo em 500cc antes de dar o salto para a Fórmula 1. Em 1964, no quinto ano de competição, conduziu um Ferrari até ao título mundial, batendo Graham Hill por um ponto numa corrida que foi um carrossel de emoções do início ao fim. Polivalência de Surtees continua a ser recorde e dificilmente aparecerá alguém capaz de o imitar.