Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

É Desporto

Power rankings: novembro

lisandro.jpg

Benfica mantém-se de pedra e cal no topo mas há equipas em queda-livre. O FC Porto é a mais mediática mas Moreirense e Feirense tiveram quedas maiores. Em sentido contrário, o Sporting recuperou o equilíbrio e o Estoril tem razões para sorrir.

 

Terceira edição

 

O que são power rankings? Podem consultar exemplos aqui e aqui. Os resultados são tidos em conta, obviamente, mas é mais do que isso. Mais do que a época inteira, importa também o momento estudado (neste caso mensal), a forma em que a equipa está e a qualidade dos adversários defrontados, bem como as perspetivas para o futuro.

 

Não é uma classificação real. Não é uma proposta de classificação alternativa. É um exercício como qualquer outro de estudo de sensações de como está cada equipa em campo. A Liga Portuguesa é o principal ponto de estudo, mas os resultados nas outras competições nacionais e europeias também são avaliados.

 

Novembro

 

1. Benfica (1.º em outubro)

  • 1.º na Liga Portuguesa com 29 pontos
  • V-E-V-E-V em novembro

Os dois empates tiveram histórias diferentes. Na Turquia, o Benfica pareceu querer confirmar que agora o 3-0 também já pode ser considerado o resultado mais perigoso no futebol; no Dragão, o golo de Lisandro nos descontos deu o brilho que os outros 90 minutos não tiveram. Está tudo na mesma.

 

2. Sporting (5.º em outubro)

  • 2.º na Liga Portuguesa com 24 pontos
  • D-V-V-D-V-V em novembro

Perder, dignamente, com Dortmund e Real Madrid e ganhar todos os outros jogos. Não foi perfeito mas ajudou a apagar o terrível mês de outubro. Dezembro será decisivo num espaço de quatro dias com deslocações à Luz e a Varsóvia.

 

3. Sp. Braga (4.º em outubro)

  • 3.º na Liga Portuguesa com 23 pontos
  • V-D-V-E-V em novembro

Foi um mês instável a nível de resultados mas a perspetiva geral continua positiva. O Sp. Braga está a um ponto do segundo no campeonato, mantém-se na Taça de Portugal (com sorte à mistura) e na Liga Europa esteve perto do apuramento a uma jornada do fim. Apesar de tudo, parece uma equipa desequilibradamente equilibrada.

 

4. V. Guimarães (2.º em outubro)

  • 5.º na Liga Portuguesa com 20 pontos
  • V-V-D em novembro

A série de cinco triunfos consecutivos acabou da pior forma: em Tondela, num abrir e fechar de olhos, os vitorianos desperdiçaram uma vantagem de 1-0 e falharam a ultrapassagem ao FC Porto. A expulsão de Marega foi o outro ponto negativo do mês.

 

5. Estoril (14.º em outubro)

  • 8.º na Liga Portuguesa com 14 pontos
  • V-V-V em novembro

Seis pontos ajudaram a dar um salto na tabela e, pelo meio, o triunfo na Taça de Portugal, com o modesto Cova da Piedade, garantiu o apuramento para os oitavos de final. Estão no caminho certo e a abrir dezembro há já o dérbi da Linha. 

 

6. FC Porto (3.º em outubro)

  • 4.º na Liga Portuguesa com 22 pontos
  • V-E-E-E-E-E em novembro

Mês para esquecer para os dragões. Seis jogos, 570 minutos, apenas dois golos. A Liga dos Campeões continua perfeitamente em aberto mas a Taça de Portugal faz parte do passado. Nuno Espírito Santo terá muito para jogar em dezembro...  

 

7. Belenenses (18.º em outubro)

  • 11.º na Liga Portuguesa com 13 pontos
  • V-E-E em novembro

270 minutos, apenas um golo. Mas quatro pontos no campeonato e... dois empates com o FC Porto, um deles no Dragão para a Taça da Liga. Há coisas muito, muito, muito piores. 

 

8. Marítimo (7.º em outubro)

  • 9.º na Liga Portuguesa com 14 pontos
  • V-D-E em novembro

Saíram da Taça de Portugal com estrondo (6-0 na Luz) mas Daniel Ramos está a conseguir reerguer o clube no campeonato após o início desastroso de Paulo César Gusmão. E hoje, com o Benfica nos Barreiros?

 

9. Desp. Chaves (8º em outubro)

  • 6.º na Liga Portuguesa com 15 pontos
  • E-E-E em novembro

Três empates mas um com sabor a vitória: eliminatória da Taça de Portugal com o FC Porto, com vitória nos penáltis. Na Liga, o objetivo primário de permanência mantém-se com boas perspetivas mas continua a faltar golo. Em 14 jogos, só por duas vezes marcaram mais do que um golo.

 

10. Arouca (10.º em outubro)

  • 13.º na Liga Portuguesa com 11 pontos
  • D-V-D em novembro

Duas derrotas em três jogos não é bom mas faz-se um desconto quando se percebe que foram ambas em Alvalade com o Sporting. Nesta altura do campeonato, três pontos de um triunfo fazem muita diferença e Lito Vidigal agradece. 

 

11. Rio Ave (12.º em outubro)

  • 7.º na Liga Portuguesa com 14 pontos
  • D-V em novembro

Capucho saiu e Luís Castro entrou da melhor forma, com um triunfo em Setúbal. E daqui para a frente, como será? O calendário é simpático até à deslocação à Luz, em vésperas de Natal. 

 

12. Tondela (17.º em outubro)

  • 16.º na Liga Portuguesa com 9 pontos
  • D-V-V em novembro

Um empate com o FC Porto em setembro, um empate com o Sporting, em Alvalade, em outubro, uma vitória, com reviravolta-relâmpago, com o V. Guimarães em novembro. Se a equipa jogasse assim com os adversários do seu campeonato, tudo seria diferente. Menção especial para o apuramento para os oitavos de final da Taça.

 

13. V. Setúbal (15.º em outubro)

  • 10.º na Liga Portuguesa com 13 pontos
  • V-V-D-D em novembro

Os sadinos são uma equipa com uma identidade muito problemática ainda. Os resultados são instáveis e Couceiro ainda não conseguiu encontrar a fórmula para retirar o melhor rendimento. Dois jogos com o Sporting em dez dias não vêm a calhar.

 

14. Boavista (16.º em outubro)

  • 11.º na Liga Portuguesa com 13 pontos
  • V-D-D em novembro

O triunfo a abrir, em Vila do Conde, foi promissor mas a eliminação na Taça de Portugal (V. Guimarães) e a derrota com o Sporting, ambas no Bessa, ajudam a perceber onde deve ser colocada a fasquia deste Boavista.

 

15. Moreirense (9.º em outubro)

  • 18.º na Liga Portuguesa com 8 pontos
  • D-D em novembro

Pepe faz parte do passado e deu lugar a Augusto Inácio. A equipa tem potencial para mais e só por isso o último lugar não assusta. Experiência de Inácio será uma vantagem, mesmo que tenha descido na última passagem em Moreira de Cónegos (2013, com um cenário muito mais difícil e numa fase mais adiantada da época).

 

16. P. Ferreira (11.º em outubro)

  • 15.º na Liga Portuguesa com 10 pontos
  • E-D-D em novembro

Maus resultados no campeonato, ainda pior desfecho na Taça de Portugal, eliminado pelo Vilafranquense. A saída de Carlos Pinto não foi uma surpresa.

 

17. Feirense (6.º em outubro)

  • 14.º na Liga Portuguesa com 11 pontos
  • D-E-D em novembro

Duas derrotas no campeonato e a eliminação na Taça de Portugal. Já foi melhor, muito melhor... 

 

18. Nacional (13.º em outubro)

  • 17.º na Liga Portuguesa com 8 pontos
  • D-D-D em novembro

Manuel Machado resiste como técnico possivelmente porque Rui Alves não consegue explicar por palavras caras que está na altura de seguir em frente. Brincadeira à parte, há potencial para fazer muito mais do que isto. E no "isto" enquadra-se também a eliminação em Torres Vedras na Taça de Portugal.

 

RPS