Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

É Desporto

Futeboxe. E se houvesse um campeão em todas as jornadas?

futebol1.jpg

A ideia não é original a nível mundial mas não temos ideia de alguma vez alguém ter feito o mesmo no campeonato português. Foi daí que partiu a ideia: e se o “vencedor” da primeira jornada em janeiro de 1935 fosse o primeiro campeão e a partir daí, houvesse um jogo do título em todas as (2298 até agora) jornadas? Fomos fazer as contas…

 

Pontos prévios e critérios

 

O seu a seu dono. O mérito desta ideia é do Unofficial Football World Championships. Em poucas palavras, o que fizeram foi partir do primeiro jogo entre seleções da história (um Escócia-Inglaterra em 1872) e partir daí para atribuir um Mundial a cada novo jogo disputado.

 

Se esse jogo não foi além de um nulo, no ano seguinte, a Inglaterra venceu a Escócia por 4-2 e sagrou-se a primeira campeã mundial não-oficial. A partir daí, sempre que fazia um jogo, estava a defender o título. Durante os anos, a distinção foi passando de seleção para seleção, inclusive Portugal, e está com o Uruguai desde que este derrotou o Paraguai a 6 de setembro de 2016.

 

Nós tentámos fazer o mais aproximado: como estamos a falar apenas do campeonato nacional, nos moldes atuais, recuámos até à primeira jornada de 1934/1935. Como houve três jogos à mesma hora, decidimos entregar o título a quem conseguiu o maior triunfo. O primeiro campeão de Futeboxe (chamemos-lhe assim a partir de agora) foi então o Sporting, ao derrotar a Académica por 6-0.

 

A partir daí, os critérios foram simples: sempre que a equipa ganhava ou empatava, mantinha o título. Quando perdia, havia um novo campeão. Simples? Quase. Nem sempre as jornadas foram organizadas de forma cronológica e houve jogos adiados que só se disputaram depois das jornadas seguintes. Para tornar o processo mais simples e fluido, decidimos que a jornada contava mais do que a data.

 

Faltava apenas uma coisa: como fazer se o campeão de Futeboxe descia de divisão na última jornada. É estranho mas pode acontecer, e aconteceu, de facto, três vezes. Decidimos que tudo voltava ao zero e o campeão seguinte, na jornada inaugural da época posterior, fosse novamente aquele que conseguisse a maior vitória.

 

Está tudo percebido? Vamos então aos resultados.

 

Benfica campeão

 

Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência… ou nem tanto. O Benfica é o atual campeão de Futeboxe desde março de 2016, altura em que derrotou o Sporting em Alvalade com um golo de Mitroglou.

 

Desde então, os encarnados não voltaram a perder e têm vindo a consolidar a sua supremacia também neste domínio. Já foram campeões em 530 jornadas (relembramos que o total é de 2298 jornadas), em 65 séries diferentes.

 

A atual dura há 16 jornadas e está ainda longe da maior série da história, que também lhe pertence: 54 jogos entre 7 de novembro de 1976 e 27 de agosto de 1978.

 

51 vencedores diferentes

topcamp.png

Das 70 equipas que participaram na primeira divisão, 51 conseguiram ser campeões pelo menos uma vez. O Benfica domina com 530 jornadas, seguido de FC Porto (481) e Sporting (356).

 

Numa segunda linha, surgem Belenenses (159), Boavista (102), Sp. Braga (73), V. Guimarães (72) e V. Setúbal (71). A partir daí, o número desce drasticamente e a equipa seguinte, o Salgueiros, não vai além das 30 jornadas como campeão de Futeboxe.

 

As 19 equipas que nunca foram campeões são o Arouca, Aves, Casa Pia, Fafe, Felgueiras, Ginásio Alcobaça, Leça, Montijo, Naval, Recreio Águeda, Riopele, Sanjoanense, Seixal, Tondela, UD Oliveirense, União Coimbra, União Lisboa, Unidos de Lisboa e Vizela.

 

Destas, aquela que esteve em mais jogos que valiam o título sem conseguir vencer foi a Naval (16 encontros). Em sentido contrário, Vizela, União Coimbra, e Fafe tiveram apenas uma oportunidade.

 

Mais títulos em ocasiões diferentes

dife.png

Ter mais jornadas como campeão não implica necessariamente que se tenha passado a ser campeão mais vezes. Neste caso, o Benfica está no topo, tendo conquistado o título em jogos que não o tinha em 65 ocasiões diferentes, mas seguido de muito perto por Sporting (63) e FC Porto (59).

 

Com estas contas, torna-se mais simples perceber quais foram as médias de jornadas enquanto campeão. Benfica e FC Porto estão praticamente lado a lado (8,153 para as águas, 8,152 para os dragões), com os leões mais trás, com 5,65.

 

Se falamos de maiores séries, atrás das 54 do Benfica já faladas, seguem-se as 48 do Sporting, 25 do FC Porto, 13 do V. Guimarães e Boavista, 12 do Belenenses e… 10 da União de Leiria.

 

Jogos que valiam título perdidos

jogosperdi.png

Este é capaz de ser o parâmetro no qual há mais equilíbrio e onde as equipas com mais presenças na primeira divisão surgem no topo. O Sporting lidera com 141 encontros, seguido do Belenenses (139), V. Guimarães (134), V. Setúbal (131), FC Porto e Académica (125), Benfica (124), Sp. Braga (117) e Boavista (104).

 

Apesar de tudo, este não é um evento em que todos têm a mesma oportunidade. Os caprichos do calendário podem fazer com que uma equipa verdadeiramente campeã possa estar uma época inteira sem ser campeã de Futeboxe, apenas por não ter a oportunidade de poder disputar um desses combates do título.

 

Em sentido inverso, a maior série do Benfica até está associada a uma época em que não foi campeão. Em 1977/78, começou a temporada como campeão de Futeboxe e terminou com 21 vitórias e nove empates. O título real foi para o FC Porto.

 

Sem jeito para defender o título

teie.png

Uma curiosidade é perceber os casos em que uma equipa foi campeã mas nunca conseguiu defender o título com êxito. É o caso de 15 equipas: Olhanense, Chaves, Tirsense, Carcavelinhos, Moreirense, União Tomar, Torreense, Caldas, Académico do Porto, Académico Viseu, Campomaiorense, Feirense, Amora, Santa Clara e Lusitano VRSA.

 

Neste capítulo, Caldas e Olhanense são os mais especiais, porque foram campeões quatro vezes diferentes, perdendo sempre na jornada seguinte. Campomaiorense e Tirsense fizeram o mesmo nas três vezes que conseguiram o título.

 

A nível global, a maior série consecutiva de campeões diferentes aconteceu entre 3 de abril e 11 de setembro de 2004, quando houve oito vencedores em oito jornadas diferentes.

 

Como aconteceu? O Gil Vicente perdeu com o Nacional, que perdeu com o Marítimo, que perdeu com o Moreirense, que perdeu com o Beira-Mar, que perdeu com o Gil Vicente, que perdeu com o Sporting, que perdeu com o V. Setúbal. Todas estas derrotas aconteceram fora de casa e a série só chegou ao fim quando os sadinos conseguiram ir ao Bessa empatar a um golo.

 

Descer como campeão

 

Os casos mais caricatos são, ainda assim, as três vezes em que o campeão desceu de divisão sem ter oportunidade de disputar a jornada seguinte.

 

A primeira vez aconteceu em 1962, com o Sp. Covilhã. A equipa serrana ganhou o título de Futeboxe na penúltima jornada com uma vitória sobre o Leixões (2-1) e segurou a distinção no Porto frente ao Salgueiros (1-1).

 

As outras duas foram já nos anos 2000, com o Rio Ave a derrotar o Alverca a 14 de maio de 2000 e o V. Setúbal a defender o título frente ao Belenenses com um empate em casa a 1 de junho de 2003, apenas uma semana depois de ter conquistado o título de Futeboxe no último jogo disputado no anterior Estádio José Alvalade (4-3).

 

Podem consultar a evolução durante as 2298 jornadas do campeonato aqui.

 

Podem consultar as estatísticas completas das 70 equipas aqui.

 

RPS