Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

É Desporto

Angus Crichton. Amputar o dedo por estar farto de lesões

crichton.jpg

Jogador australiano da rugby league não quis correr risco de partir novamente o dedo durante a época e decidiu antecipar a decisão. «Já o operei seis vezes. Não o consigo dobrar, é como se estivesse sempre a mostrar o passarinho às pessoas». 

 

Dedos, para que vos quero?

 

Tempos desesperados exigem medidas desesperadas. Mas esse nem parece ser o caso de Angus Crichton, jogador australiano da rugby league com apenas 21 anos.

 

É uma história de pragmatismo e de conformismo. Cansado das sucessivas lesões no dedo médio da mão esquerda, e depois de ter sido alertado que precisava de nova operação, Angus matou a angústia e decidiu avançar com a amputação, evitando assim uma paragem de três meses.

 

«O meu dedo anda assim desde que era sub-20. Há uns meses tinha feito uma fusão porque já não tenho articulação. O médico disse-me que o podia cortar ou fazer uma nova fusão. Já fiz imensas fusões porque estou sempre a parti-lo», explicou o jogador.

 

Há muito que o dedo não passava de um apêndice irrelevante e desconfortável na vida do jogador. «Não o consigo dobrar, é como se estivesse sempre a mostrar o passarinho às pessoas. Se cerrar o punho, o dedo continua esticado», disse.

 

«Há uns tempos, meti-me à frente de alguém quando estava a conduzir e meti a mão de fora para pedir desculpa. O homem veio atrás de mim até um beco sem saída. Saímos os dois dos carros e ele perguntou-me se lhe tinha mostrado o passarinho. Expliquei-lhe a situação e ele compreendeu», contou.

 

À sexta operação, a paciência esgotou-se. «Vou cortá-lo porque estou farto disto». E assim foi.

 

O treinador David Rowlings confirmou à imprensa australiana que a amputação foi realizada no início desta semana.