Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

É Desporto

Alterraun Verner. Jogar em homenagem ao pai

verner.png

Robert Lee Verner morreu na sexta-feira, vítima de um ataque cardíaco. Dois dias depois, Alterraun fez questão de jogar pelos Tampa Bay Buccaneers em memória do pai. O cornerback não conteve as lágrimas depois de intercetar um passe de Russell Wilson.

 

 

Impulso paternal

 

Alterraun Verner começou a jogar futebol americano com seis anos por causa do pai. Robert Lee queria apenas ver se o filho gostava do desporto e decidiu inscrevê-lo numa equipa, mal sabendo que estava a plantar a primeira semente na carreira de um futuro jogador da NFL.

 

A presença do pai nunca foi um obstáculo. Nem sequer um ponto adicional de pressão, muito pelo contrário. «Era o meu maior fã. Tudo o que queria era que desse o meu melhor. Podia permitir três touchdowns, fazer três interceções… continuava a amar-me da mesma forma», garantiu.

 

Na sexta-feira, Robert Lee morreu, vítima de um ataque cardíaco, aos 61 anos. O choque foi grande mas, depois de um comunicado a informar o falecimento, Alterraun fez questão de garantir que ia estar disponível para defrontar os Seattle Seahawks no domingo.

 

Os contornos do jogo eram comoventes. Durante o aquecimento, Alterraun foi confortado por jogadores rivais e os próprios colegas de equipa não sabiam muito bem o que fazer.

 

Momento alto

CyWfeYpXgAACHe6.jpg

Os Tampa Bay Buccaneers venceram os Seahawks por 14-5 e, numa das jogadas mais decisivas do encontro, Alterraun Verner intercetou um passe de Russell Wilson. O cornerback recolheu a bola, agarrou-a bem e ajoelhou-se no relvado, soltando as primeiras lágrimas à medida que os colegas de equipa correram para abraçá-lo.

 

Foi um momento comovente que prosseguiu já no banco, sem capacete. «Ele era o meu maior fã. Fez imensos sacrifícios para chegar onde estou hoje, e sabia que ele não quereria ser a causa para eu não jogar. Foi por isso que decidi jogar. Queria homenageá-lo, por saber tudo o que ele fez para me fazer chegar onde estou», disse após o jogo.

 

Além disso, jogou com uma t-shirt com uma fotografia dos dois por baixo do equipamento. «Algo que nunca vou esquecer é o seu sorriso. O sorriso que estava na t-shirt era um dos meus favoritos», explicou, falando da t-shirt que foi feita pela mulher, Sina’e.

 

Os colegas respeitaram o momento. «Foi incrível. Sabíamos que estava muito magoado, mas deu tudo o que tinha», disse Gerald McCow, defensive tackle.