Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

É Desporto

Mike Piazza. A improvável cunha que fez história na MLB

Mike Piazza

Foi a 1390.ª escolha do draft de 1988 porque o pai era amigo de infância do treinador dos LA Dodgers e pediu um favor inofensivo. Fruto de uma obsessão do pai pelo basebol, protagonizou uma das histórias mais improváveis no desporto norte-americano. Depois de 15 épocas, uma final e 427 home runs, tornou-se a escolha mais tardia de um draft a ser eleita para o hall of fame.

Inglaterra. O ciclo vicioso 50 anos depois do único título

Bobby Moore festeja com o troféu

Faz hoje 50 anos que a Inglaterra conquistou o Mundial. Desde então, a expetativa de conseguir uma repetição, ou fazê-lo num Europeu, é ciclicamente grande mas o fim da história termina inevitavelmente numa desilusão. A sensação de «direito divino» de vencer tem prejudicado mas há mais por onde os ingleses podem e devem pegar. Uma gestão real de expetativas é fundamental.  

Filippo Tortu. Recordes não foram os primeiros a ser quebrados

tortu.jpg

Um gesto tão simples como inclinar-se para a frente na linha de meta fez com que partisse o cúbito e o rádio nos dois braços. Filippo precisou de recuperar mas, menos de dois anos depois, o adepto da Juventus que nasceu em Milão conseguiu o melhor momento da carreira: é vice-campeão mundial sub-20 nos 100 metros. E tudo começou com uma moto cor-de-rosa em miniatura. 

O que é o É Desporto?

O É Desporto é um projeto amador que tem o objetivo de dar a conhecer algumas das melhores histórias do desporto e das suas figuras.

 

Não tem o objetivo de ser uma alternativa às notícias – nunca o poderia ser – mas sim o de dar a conhecer um caminho diferente, com histórias mais ou menos conhecidas do público geral e com abordagens alternativas.

 

O que interessa é aquilo que É Desporto. O acessório, a polémica e as guerras de informação são irrelevantes. A atualidade merece destaque mas o que queremos é compilar histórias interessantes dignas de ser lidas no dia em que são publicadas, na semana seguinte, no mês seguinte e em qualquer altura em que haja uma justificação para isso.

 

O ângulo de atualidade é importante mas o intemporal é mais sedutor. Um desconhecido que vença um torneio de ténis dará um excelente momento de atualidade mas, provavelmente, será a história que está por trás a ter mais relevância.

 

Sem periodicidade definida, publicaremos sempre que haja tempo ou motivo.

 

O É Desporto é um projeto familiar na sua essência, mas contará com apoios pontuais de uma pequena equipa.

 

O projeto nasceu no Twitter em maio de 2016 (até dezembro de 2015 foi @idesporto, quando fazia parte da seção de desporto do jornal i) e a partir de 30 de julho de 2016 cresceu para este site e para o Facebook.

 

A conta de twitter é a imagem da marca É Desporto mas, apesar dos mais de 70 mil seguidores, o número é considerado pouco relevante porque está muito inflacionado pelas recomendações que o twitter fez durante o Mundial-2014.

 

O É Desporto é um projeto com um grande propósito pessoal, em que os seus contribuidores criam um arquivo público de histórias e partilham-no com quem tiver interesse.

 

O É Desporto não é, nem nunca pretenderá ser, um trabalho jornalístico, não tem uma redação e não tem estagiários. A formação profissional dos seus contribuidores é irrelevante no trabalho feito.

 

O É Desporto nunca teve qualquer compensação financeira pelo seu trabalho mas já gastou centenas de euros em viagens e bilhetes de eventos desportivos.